2leep.com

24 de julho de 2013

Cadê você? Por Felipe Caruso

Mensagem de um pai ao "Governador" do Rio de Janeiro.

"Cadê você?

A Gabriela é minha Filha, o que me enche de orgulho. Ela estava num bar na Lapa e viu a polícia do governador agredir, sem motivo para fazê-lo, jovens nos bares.

Pois é, Serginho! Até hoje não falei de você em respeito ao seu pai, Sérgio Cabral, e a sua mãe, Magali a quem muito prezo. Contudo, você deixou que a sua polícia jogasse bombas na minha filha e nos seus amigos, quando estavam se divertindo num bar da Lapa. Um daqueles bares que o seu filho, que foi colega dela no Santo Ignácio, também frequenta.

Por que, Serginho? Você pensa que eles são vagabundos?

Não, Serginho! Vagabundo é você que nunca trabalhou na vida!

Você teve um cargo comissionado no gabinete do seu Pai por oito anos e nunca apareceu na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, nem para assinar o ponto. Lembra disso? Todos os funcionários da Câmara lembram.

Mas, esse é o seu modo democrático de ser. 

Assim que assumiu a presidência da ALERJ, o seu primeiro ato foi iniciar uma perseguição aos funcionários, dizendo que não admitiria funcionários fantasmas. Que coisa feia, fantasmão! Quis bancar o engraçadinho com o Governador Marcelo Alencar e ele ameaçou revelar a origem de suas propriedades em Mangaratiba e Angra dos Reis e você mudou de assunto.

Apareceu bêbado numa entrevista ao vivo, no sambódromo, falando da futura presidente Dilma e, logo depois instituiu as blitze da Lei Seca. Pergunto-me: Será que é mais perigoso dirigir bêbado um carro ou um Estado, mesmo a partir de um restaurante em Paris, com guardanapo na cabeça?

Nós sabemos que você ficou rico. Também sabemos que você não justificaria sua fortuna num País sério, mas quebra um galho quando mandar os seus macacos darem porrada nos colegas do seu filho. Fique em casa para a gente poder lhe encontrar, em vez de se esconder debaixo da saia da Dilma. 

Afinal, faz quatro dias que você não vai pra casa, seus vizinhos estão sentindo a sua falta.

Felipe Caruso"


Noam Chomsky e as 10 estratégias de manipulação da mídia

21 de julho de 2013

A velha política. O novo mundo. Tem que dar merda.

Durante o século passado tanto o volume acumulado quanto a velocidade de produção de conhecimento se deram de forma sem precedentes na história. Isso resultou em uma sociedade que usa diariamente recursos tecnológicos que seriam impensáveis poucas décadas atrás. O impacto se deu na medicina, na comunicação, no transporte, no trabalho e em todas as áreas de atuação humana. Com exceção de uma: a política.


Os políticos pouco (ou nada) mudaram. Sua forma de atuar continua sendo a mesma. O processo de formação do poder também não mudou. Chega a eleição e vários candidatos se apresentam. Fazem discursos ridículos com promessas que nunca serão cumpridas. O povo vota como um bando de bovinos nos matadouros. Elegem-se "os representantes do povo" que ao assumir seus cargos começam a planejar as formas de saldar suas dívidas financeiras de campanha. O dinheiro público desaparece nos ralos da corrupção. Os discursos se inflamam uns contra os outros como paladinos de porra nenhuma. Tudo continua como antes para o povo. Alguns grupos ficam milionários. Chega a outra eleição e tudo se repete.


Esse loop é sempre o mesmo dentro de um mundo que realmente mudou. Isso talvez seja a causa última da dissociação entre a política e a realidade. A política afirma falsamente que a sociedade está melhor enquanto a realidade que se apresenta é de uma sociedade abandonada e doente.


Grandes eventos sangrando o erário de um país que não consegue garantir educação e saúde de qualidade para seus cidadãos é mais que improbidade. Isso beira a esquizofrenia. A coisa é tão gritante que até o Vaticano resolver tirar uma casquinha e já está custando mais de 100 milhões de reais a visita do papa ao Brasil.

Surge a pergunta: Se continuarmos nessa trajetória como será nosso futuro???




10 de julho de 2013

Por que nossa política é tão burra?

Um vídeo curto e muito bacana feito pela Superinteressante.



Mas vejo como principal fator a falta de educação do eleitorado. Segundo informações do TSE aproximadamente 71 milhões de eleitores (com alto grau de certeza) nunca leram um livro.
O resultado prático não poderia ser outro diferente do que vemos.

6 de julho de 2013

Depoimentos sobre a violência da PM na casa do Ditador Sérgio Cabral em 04/07/2013

Vídeo postado por Vivian Padrão

No vídeo ela conta o que viu nas ruas quando estava indo da aula de teatro para casa. Como qualquer cidadão ela ficou indignada com a atitude claramente desequilibrada da polícia, do governador além omissão da imprensa.


Vídeo postado por Ana Amelia Mello Franco

Nesse vídeo além de detalhar os eventos ocorridos contra os manifestantes em 04/07/2013 Ana Amelia fala sobre quem é Sérgio Cabral, com quem ele anda e o que ele tem. Muito importante divulgar isso. Inclusive detalhes sobre crimes cometidos pelo ditador do Rio de Janeiro.



Vídeo postado por Ricardo Gama

Excelente levantamento de material que esclarece de fato o que aconteceu em 04/07/2013 segundo jornalistas que estavam presentes no exato momento em que a PM iniciou o ataque e posterior "caça" aos manifestantes pelas ruas.


Vídeo que mostra momento que começou a ação da PM contra os manifestantes. As luzes da orla foram apagadas, repetindo o que foi feito na Avenida Presidente Vargas poucos dias antes. A escuridão além de causar imenso risco para toda a população dificultava a identificação dos policiais que ficavam a vontade para cometer suas ações repressivas.


São muitos outros vídeos. Basta você buscar. Só assim podemos ter uma real visão do que está acontecendo pois a grande mídia (especialmente a Globo) continua agindo como sempre agiu. Ficando ao lado dos poderosos e mentindo.

Leia também:



2 de julho de 2013

Amanhã vai ser maior

Até quando fingiremos ter direitos que não conquistamos?
A resposta é: até quando deixarmos que assim seja.

A Fifa e a grande mídia, neste exato momento, estão rindo da cara do povo e contando seus milhões, pois agora acreditam que os protestos acabaram ou ao menos perderam muito de sua força. O Brasil foi campeão no futebol e a mídia muito sutilmente já decretou que na rua só tem baderneiro - o que justificaria a violência policial.


Esqueceram da internet que foi a motriz desse novo comportamento coletivo, não só no Brasil mas em todo o mundo. Em muitos outros lugares a insatisfação está se mostrando nas ruas. E se mostrando para o mundo em tempo real.

Não podemos esquecer que diante da fúria da multidão os governos e a grande mídia fizeram em bem pouco tempo mais do que pretendiam. Eles caíram em contradição, mudaram seu discurso, recuaram em suas posições autoritárias e até deixaram de passar a novela (isso nunca havia acontecido em mais de 40 anos de novela idiotizando o Brasil).


Baixaram as tarifas do transporte, votaram a PEC do MP, incluíram a corrupção no rol dos crimes hediondos, colocaram na pauta para votação vários projetos importantes de serem votados - alguns guardados nas gavetas por anos.

O próximo passo é cobrar do Ministério Público, da OAB e de quem mais for possível a punição dos excessos cometidos pela polícia, que sob as ordens de facínoras instalados no poder agiram para coibir o exercício constitucional da liberdade de expressão. Direito esse um dos pilares da democracia. Usaram bombas, balas e porrada para revogar a Constituição Cidadã. Todos os envolvidos nessa cadeia de inconstitucionalidade devem ser punidos.


As provas dessa grave ameaça à democracia estão na rede. As vítimas estão rede. A omissão por parte das autoridades responsáveis na defesa e fiscalização do cumprimento das leis servirá de combustível para outros protestos que crescerão de tom na violência de parte a parte.


Senhores e senhoras do Ministério Público. Chegou a vez de vocês mostrarem que o povo não estava errado ao defendê-los da PEC que os amordaçaria. Usem seu ofício em defesa do povo que protesta por um país melhor. Vocês agora terão a chance de se alinhar ao povo brasileiro na defesa do Estado Democrático de Direito. Não percam essa oportunidade.


E senhores governantes do Brasil, pode até demorar um pouco, mas saibam que a coisa só começou. Não tem Globo ou futebol ou violência que tire o povo da rota da democracia. O "seu querer" não vai se sobrepor eternamente ao "nosso precisar". Trabalhem direito ou serão dois milhões, três milhões, vinte milhões.

2leep.com